Campanha nacional pela anulação de demissão de sindicalistas

A violência patronal de sempre      

            No dia 10 de junho de 2007 os metalúrgicos das cidades de Garuva e Itapoá, no nordeste de Santa Catarina, cidades distantes de Joinville cerca de 40 km, realizaram assembléia geral e fundaram o Sindicato dos Metalúrgicos. Além dos trabalhadores destas cidades estiveram presentes na assembléia vários dirigentes de sindicatos da categoria da região, contrários à fundação da entidade, mas não resistiram à vontade da categoria da base territorial, que estava decidida a se organizar. Os dirigentes eleitos do novo sindicato se dirigiram às empresas onde mantém o vínculo de emprego, para formalmente comunicar a fundação do sindicato e a sua eleição para a primeira direção. No dia 12 receberam o comunicado da demissão. Foram demitidos o presidente eleito Edson da Silva, o vice-presidente Francisco Lanzzarin, um membro do conselho fiscal Sebastião Inácio Filho, todos da empresa Marcegaglia do Brasil, e José Wilson dos Santos, tesoureiro, da empresa Siloé Cerise. Todos estes trabalhadores já entraram com processo na justiça do trabalho, e estão aguardando a decisão sobre o pedido de reintegração. Dirigimos-nos a todas entidades Sindicais solicitando apoio na luta pela anulação das demissões dos dirigentes sindicais praticada pelas empresas Marcegaglia do Brasil e Siloé Cerise, pois tal medida fere a CF e a Convenção 98 da OIT, se caracterizando como prática anti-sindical. Moções devem ser enviadas para as empresa e também para os Juizes do Trabalho que estão analisando os processos solicitando a reintegração imediata dos dirigentes sindicais demitidos Na certeza de contar com o apoio desta entidade, Charles PiresMembro da Executiva Estadual da CUT/SC  

Campanha de moções reivindicando a reintegração dos demitidos

 No caso dos trabalhadores Edson da Silva, presidente, vice-presidente Francisco Lanzzarin, membro do conselho fiscal Sebastião Inácio Filho, enviar moções para:Marcegaglia do Brasil – vendas@marcegaglia.com.br Juiz do Trabalho César Nadal Souza – 1vara_jve@trt12.gov.br  No caso do trabalhador José Vilson dos Santos, tesoureiroSiloé Cerise – milenevt@onda.com.brJuiz do Trabalho Antonio Silva do Rego Barros – 5vara_jve@trt12.gov.br   Copias Para :Charles Pires – email: charlespires13@hotmail.com 

About these ads

3 comentários sobre “Campanha nacional pela anulação de demissão de sindicalistas

  1. Saudações companheiros,

    Aqui no Paraná estamos organizando o Sindicato dos Enfermeiros. Já temos tudo estruturado, inclusive todos os orgãos que representam nossa classe (Conselho Regional, Conselho Ferderal, Federação Nacional e sindicatos do Brasil), nos reconhecem como sindicato, mas quando fomos registrar nossa ata de fundação descobrimos que já existe um sindicato dos enfermeiros que foi absorvido pelo sindicatão aqui da região. Estamos com processo na justição para retomar nosso sindicato. Aproveitando da não legalização do nosso sindicato, a empresa onde trabalhava me demitiu. Esta semana entrei com pedido de reintegração de cargo. Estes patrões não tem limites, espero que pelo manos a justição esteja do nosso lado!!
    Dou total apoio a sua causa, pois estou na mesma situação!!

    Um forte abraço!!

    José Marcelo
    Secretário Geral
    Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Paraná

  2. Companheiras(os) Minhas Saudações;

    A Renault do Brasil esta no mesmo caminho, estes capitalista é quem não respeitam a lei e quem paga é o sindicalista. Recentemente tivemos uma paralização da empresa CSI logistica, onde o companheiro Robson Jamaica do sindicato dos metalúrgicos estava apenas apoiando a greve, natural que isso aconteça. E ao cobrar da Renault o respeito a NR 11, e não colocar seus trabalhadores diretos para fazer o serviço da empresa terceirizada, ganhou como resposta a suspenção de seu contrato de trabalho por tempo indeterminado para apuração de falta grave conforme art. 482 da clt nas alineas a,b,h,j e k.
    Precisamos nos mobilizar e lutar contra essa opressão, isso já esta virando rotina, se nada for feito daqui a pouco não poderemos mais nos m,obilizarmos e lutra pelos nossos direitos. Peço aos companheiros que repassem essa mensagem e que também enviem manifestos de repúdio a opressão sindical para a direção da Renault do Brasil e também ao Comitê de Grupo Renault, nos seguintes endereços:
    joao.a.cunha@renault.com (gerente de relações trabalhistas e sindicais Renault.
    ana.p.camargo@renault.com (diretora de RH Renault do Brasil)
    Comite-Groupe.Renault@renault.com ( Comitê de Representação Sindical Mundial Renault) favor enviarem com cópia para: robsonjamaica@hotmail.com

    Desde já agradeço pelo apoio.

    • ola amigos companheiros ate hoje estamos na luta estamos na mira da burguesia e as perseguiçoes continuam continuamos desempregados por voce inicia numa empresa e logo eles te mandan embora isto e injustiça isto e crime poi8s dependemos do nossos trabalhos para sobreviver temos nossas vidas e alguem esta tentando impedir este direito;;; senhora presidente dilma cade a defesa dos direitos humanos ;; eu sebastiao inacio filho membro do diretorio sindical prescisamos da colaboraçao der todos os companheiros

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s